sábado, 15 de dezembro de 2007

Porque hoje (ainda) é sábado!


Globo de Ouro 2008


Quinta-feira, 13/12, foram anunciados os indicados ao Globo de Ouro 2008. Conhecido como prévia do Oscar, a premiação oferecida pela Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood antecipou por 14 vezes o vencedor da Academia nos últimos 20 anos. Curioso que no ano passado o tiro saiu pela culatra, deu “Babel” no primeiro e “Os Infiltrados” no segundo.

Na sexta-feira o UOL publicou uma matéria bem bacana resumindo as chances de cada candidato e o que podemos esperar para o Oscar. Aproveitando o tema, a sinopse ficou é mais ou menos assim:

Concorrência: Pela primeira vez na história do prêmio, sete filmes concorrem a melhor filme/drama – historicamente são cinco os indicados. “Desejo e Reparação” de Joe Wright lidera a corrida com sete indicações.

Porrada: Nunca se viu uma quantidade tão grande de filmes considerados violentos concorrendo. São quatro na categoria drama: “O Gângster”, “Senhores do Crime”, “Sangue Negro” e “Onde os Fracos Não Têm Vez”; e um na categoria comédia ou musical: “Sweeney Todd: O Barbeiro Demoníaco da Rua Fleet”.

Independente: “Juno”, que concorre a melhor filme/comédia ou musical deve fazer as vezes de “Pequena Miss Sunshine” e “Sideways” entre os independentes que conseguem uma vaguinha no tapete vermelho de Hollywood.

Eles: Entre os homens mais cotados da categoria drama estão: George Clooney, Daniel Day-Lewis, James McAvoy, Vigo Mortensen e Denzel Washington. Em comédia ou musical o globinho dourado deve ficar com Johnny Depp, o barbeiro demoníaco de Tim Burton.

Elas: O pau deve quebrar entre as indicadas Cate Blanchett (pela 82° vez consecutiva), Julie Christie, Keira Knightley, La Jolie e Jodie Foster, todas concorrendo por drama. Barbada em comédia ou musical: Marion “Piaf” Cotillard – que deve levar o Oscar também.

Injustiçados: Em toda lista existe aquela cota de injustiçados e no Globo de Ouro isso também acontece. “Into the Wild” de Sean Penn (e trilha sonora sensacional de Eddie Vedder do Pearl Jam), “Medo da Verdade” o elogiado primeiro longa de Ben Affleck, “No Vale das Sombras” e “O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford” vencedor de diversos prêmios no festival de Berlim e “Os Indomáveis” entre outros filmes, ficaram de fora. Tommy Lee Jones por “No Vale das Sombras”; Russel Crowe duplamente por “O Gângster” e “Os Indomáveis”; e Nicole Kidman por “A Bússola de Ouro” estão fora da festa.

Zica: O azarão do ano é a comédia “Jogos do Poder”, com Tom Hanks e Julia Roberts. Pouco se falava desse filme antes das cinco indicações ao prêmio, atrás apenas de “Desejo e Reparação”.

O Golden Globe ocorre no dia 13 de janeiro. Dez dias depois são anunciados os indicados à premiação da Academia. É esperar para ver e torcer pelo seu filme, ator, atriz e diretor favorito. Eu já escolhi o meu, dá-lhe OS SIMPSONS!!!

A lista com todos os concorrentes você confere aqui.

Imagens do México - 3

Abaixo vão duas imagens representativas do patrimônio histórico e cultural do México.

A primeira mostra uma visão lateral das ruínas do Templo Mayor, “umbigo” da Federação Mexica, onde aconteciam os sacrifícios rituais e celebrações. Lá também era o local de onde Montezuma II comandava a Federação até 1520, quando foi preso pelos espanhóis (encabeçados por Hernán Cortés) e, em seguida, morto durante os episódios que antecederam à “Noche Triste”, em junho daquele ano.



As ruínas foram descobertas apenas no final dos anos 1970 e hoje ficam expostas para os turistas e “ciudadanos”. Junto ao Templo Mayor, há um museu dedicado a “guardar” e expor fragmentos da história indígena pré-hispânica.

A sensação de estar próximo ao Templo Mayor e imaginar o tamanho original, o lago Texcoco que o emoldurava e o cotidiano daqueles povos há aproximadamente 5 séculos, é indescritível. Qualquer palavra seria insuficiente.

Na segunda foto, um dos altares da Catedral do México, localizada a apenas alguns metros das ruínas do Templo Mayor. A Catedral é sensacional, pois combina elementos arquitetônicos típicos do Barroco do século XVII a soluções neo-clássicas, como aquelas que aparecem em grande parte das portadas dos altares laterais.


Na imagem acima, o primeiro altar central da Igreja. Atrás dele, há um coro magnífico (que está sendo restaurado) e nos fundos o altar-mor, ladeado por duas capelas construídas por jesuítas no final do século XVI. A Catedral começou a ser erguida em 1573 e demorou mais de duzentos anos para ser considerada “acabada”.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2007

En el México Mágico...

Um truque maroto do Marcus Vinícius, direto do México Mágico!

video

Charges de Liberati - "Erro de Cálculo"

Quem quiser conferir mais trabalhos do Liberati, é só clicar aqui.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007

O fim da CPMF

Finalmente o que era provisório vai ser extinto. Depois de 14 anos a CPMF acaba no próximo dia 31/12.
O imposto do cheque como ficou conhecido era vinculado às despesas da Saúde. Aos poucos, como em todo caixa do governo, adquiriu outras feições.
O governo Lula saiu derrotado. São 40 bilhões de reais a menos por ano. Os DEMos e os tucanos estão exultantes. O governista Ciro Gomes chegou a dizer que foi uma bala de raspão no peito do governo, pois é com estes recursos que se financiam, em parte, os programas sociais.
A boa notícia é que pela primeira vez temos uma mobilização contra aumento/continuidade de tributos e isso será um legado para este e para qualquer governo que vier.
Os tucanos que hoje celebram a vitória devem colocar as barbas de molho, pois tudo indica que na diminuição de repasses do governo federal serão eles os primeiros alvos.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Bandeira para a Virgem!

No dia da Virgem de Guadalupe, um pouco de Manuel Bandeira. Quem quiser conferir outros poemas, é só ir ao Poesia.Net.

Poema tirado de uma notícia de jornal (1930)

João Gostoso era carregador de feira livre e morava no morro da Babilônia num barracão sem número
Uma noite ele chegou no bar Vinte de Novembro
Bebeu
Cantou
Dançou
Depois se atirou na lagoa Rodrigo de Freitas e morreu afogado.

Light: uma questão de gênero?

por Duda (da Cidade do México)

Ainda não me acostumei com a idéia de ter colesterol alto. Especialmente, porque ele é genético: corro pelo menos 3 vezes por semana, durmo cedo, não fumo, não bebo, como mais saladas e coisas light do que qualquer outra coisa, detesto junkie food e nunca tomei um refrigerante na vida! Nem todos os fatores citados têm a ver com colesterol alto. Talvez a minoria tenha. O que interessa, em suma, é que sou o mais quadrado personagem do mundo! Daí o fato de me incomodar com alguma coisa ruim em minha saúde. Coisa que não é bem culpa minha...

Escrevi tudo isso como preâmbulo para a situação que realmente interessa: em decorrência do colesterol, sou um grande consumidor de produtos light. E, como é inevitável, sempre olho para as embalagens enquanto consumo esses produtos. É assim que percebemos que todos eles apelam para a idéia da redução de gordura trazer consigo a redução de calorias (como se eu estivesse preocupado com isso!). Os invólucros usam, inevitavelmente, cores mais brandas e tonalidades mais amenas do que os produtos integrais. Cor light, produto light! Não raro podemos ver silhuetas de corpos esbeltos ou malhados, tanto de homens quanto de mulheres. Claro: tome leite de soja e tenha o abdômen rachado. Dessa forma, seus problemas acabam!

No México, por recomendação do cardiologista, procuro manter a dieta e o mínimo de atividade física. Toca água e produtos light para o organismo. Sendo assim, continuou da mesma forma o velho hábito de analisar as embalagens. Qual não foi a surpresa em descobrir que o único leite desnatado que achamos (semi-desnatado tem mais) em dois supermercados chama-se siluette plus, vem numa embalagem rosa e branca, com uma garota branca, magra e com cara de tédio a nos olhar. Na mesma linha de produtos, tomo um yoghurt sin grasa também rosa e que traz a equação, tal qual a do leite: buena hidratación + buena alimentación + actividad física = la mejor actidud! Uma silhueta feminina correndo e outra com os braços para trás.

Comecei a reparar em outros produtos light por aqui e a mesma coisa: se não tem gordura, logo é rosa, vermelho ou amarelo e tem uma mulher magra e loira estampada. ‘Ora’, cheguei a pensar, ‘que cara mais preconceituoso’, um homem não pode tomar um produto rosa com uma moça na “capa”? Será que a propaganda não pode também visar ao público masculino, criado sob a égide do azul, mesmo estampando apenas mulheres?

Poderia ser. Até entrar em questão o consumo de água. Já que não bebo refrigerantes, tomo toneladas de água. Mesmo assim, nunca tinha reparado em como se anunciam ou como são as embalagens de água. Sei apenas que 90% delas são de plásticos, não retornáveis. Mas neutras: rótulo branco (que, como o preto, é cor sem gênero! Ainda que carreguem suas tintas políticas...) em garrafas transparentes ou azul claras. Não anunciam nada. Talvez uma ou outra traga os possíveis benefícios à saúde de quem consome água mineral. Bebem-na homens e mulheres, mamíferos e aves, fitoplâncton e cianofíceas.

Aqui, água é da torneira! Sem problemas para os povos de Anáhuac, mas altamente desaconselhável para os forasteiros que não queiram se ver com a maldição de Montezuma! É notável o efeito da água de torneira nos intestinos dos incautos! Só por isso, aconselha-se, neste caso, não fazer como os romanos quando estiver nesta Roma. Logo, tomemos água embotellada! Na marca mais vendida por aqui, os dizeres do rótulo, raramente iguais, como os biscoitos da sorte, estampam pérolas do tipo: “para o dia a dia da princesa!”.

Aí é gozação: a única conclusão possível é que light e água de garrafa, no México, são coisas de mulher! Água e gordura têm gênero neste país do hemisfério norte! Homem que é homem que morra do coração! Viva a subjetividade do gênero! Viva meu coração y viva Zapata!

terça-feira, 11 de dezembro de 2007

O som da praça

Por Raquel Vito
***
Fim de tarde, ao longe os acordes da música envolve o ambiente e percorre o lugar. Sutilmente torna-se companheira e o convida à diversão. Num clima descontraído, o som instrumental mistura-se a conversa informal. As notas inconfundíveis agradam os que passam pelo local. Entre um gole de cerveja e uma água de coco, é irresistível não se deliciar com um bolinho de bacalhau, experimentar o caldo de feijão, a comida baiana e árabe aproveitando o que a gastronomia oferece. A culinária é uma combinação perfeita para desfrutar e curtir o chorinho.

Ponto de referência cultural a Feira de Artes, Cultura e Lazer da Praça Benedito Calixto é reconhecida internacionalmente como uma das melhores feiras de antiguidades e artesanatos. Localizado entre as ruas Cardeal Arcoverde e Teodoro Sampaio, em Pinheiros, o evento faz parte do calendário turístico e cultural de São Paulo.

Há 18 anos o grupo Canário toca um vasto repertório dos anos 30. As pessoas participam constantemente. Os amantes do choro cantam juntos enquanto outros arriscam, muitas vezes timidamente, passos de dança e acompanham o ritmo entre um batuque na mesa, interagindo com o grupo. José Correia, 77 anos é o mais novo no grupo. Há um ano toca pandeiro e se apresenta com o nome artístico de Zezinho Guarani. Músico profissional, já tocou com grandes compositores como Pixinguinha, Folhares, Waldir Azevedo, entre outros.

Considerada música de boêmio, o choro nasceu no Rio de Janeiro no começo do século e era mal visto pela sociedade. Os que seguiam o gênero musical eram considerados malandros. Vivendo da informalidade os músicos reuniam-se em diferentes lugares para promover os saraus, Noel Rosa, Chiquinha Gonzaga, Pixinguinha faziam parte da nata do choro. “A apresentação de um conjunto regional é composta por violão de sete cordas, violão de seis cordas, cavaquinho e pandeiro. Esses são os instrumentos considerados clássicos do choro”, explica Zezinho. “A flauta, o clarinete, o bandolim podem entrar como complemento para fazer o solo”, diz.

A feira é realizada todos os sábados das 9h às 19h e existe há 20 anos. Cada peça tem um significado, uma identidade, um valor. Quem busca por raridades está disposto a pagar o quanto for para ter o objeto desejado. Entre os 320 expositores é possível comprar e vender diversas peças. Encontra-se de tudo... discos, livros, relógios, pratarias, brinquedos, roupas... uma verdadeira viagem ao passado que se confunde com histórias pessoais.

Clássicos como Carinhoso, Rosas, Lamentos e Ingênuos fazem sucesso entre as pessoas e não passam despercebidos. “Muitos artistas da época eram autodidatas, tinham uma grande capacidade intuitiva e um talento nato, isso é dom”, conta Zezinho. Grande parte dos que admiram a roda de choro, hoje, são jovens. A música nostálgica é um convite a todos que apreciam o gênero.

A variedade de objetos chama a atenção de todos. Uma oportunidade de passeio para ser feito em família ou com os amigos. A mistura de gerações é uma característica do choro. Não há limites nem barreiras, todos são bem vindos. “O chorinho é um artesanato da MPB”, conclui Zezinho.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

Terremoto em Minas Gerais e a nossa enquete

Como diria Zé Simão, estamos mesmo no país da piada pronta. Quem diria que um dia teríamos um terremoto? Mais bizarras foram as manchetes nos jornais. "Brasil tem primeira vítima de terremoto".

Lamentando o episódio, mas pensando sobre ele, podemos dizer que é mais um mito que cai. O Brasil teve um abalo de 4,9 na escala Richter. A enquete da próxima semana pergunta: o que nos falta acontecer?

PêEsse1: Na enquete da semana passada houve um incrível empate. Para 50% dos que participaram o Timão e o Chávez descerão ladeira abaixo. Os outros 48% se dividiram entre duas visões otimistas: vencer e voltar mais fortes no futuro (19%) e se inspirar na Fiel e no Fidel para não perderem o rumo (31%).

PêEsse2: Antes que nos acusem, o terremoto por aqui não foi uma homenagem ao editor que está em terras que treme de vez em quando.

domingo, 9 de dezembro de 2007

Imagens do México - 2

As agruras...


...da pesquisa!

E...



...do transporte público, num sábado às 6 da tarde!